Resumo mensal dos últimos meses que sumi

Pode ser que meu Psicológico tenha certo detalhes que nem eu mesma compreenda. Direi apenas que meus últimos meses foram como andar de montanha russa, ora solto um grito de desespero, ora aquela sensação esquisita na barriga já basta. Foram apenas que, não passei no vestibular, não terminei de escrever meu livro como eu esperava, estou desempregada, e agora minha égua foi roubada. Tudo se resume entre muitas outras palavras, mas a primeira que vem em minha mente é: tudo mudou!

È incrível pensar que as vezes eu devesse só me dar um tempo, parar para pensar e refletir um pouco sobre o que tudo vem acontece. Foi um erro parar de escrever, sinto a diferença na pele, meus pensamentos ficam confusos e cada hora tenho uma opinião diferente. Como se minha vida não tivesse um rumo, eu não sei do que quero e do que pretendo, agora, porque para o futuro eu já sei de muita coisa.

Acontece que eu preciso resolver as coisas, arrumar um emprego, pagar um cursinho de que preciso, me preparar para o vestibular em julho novamente, aguardar tão ansiosamente pelo parto da minha égua, ou seja, colocar as coisas no eixo, porque até agora continuo sentada em uma mesa branca estudando pelo o que nem sei o que… Apenas sei que preciso ser alguma coisa, preciso ter o que dizer para as pessoas quando elas perguntam: o que você faz da vida?

Li:

Digamos que não houve muita leitura nos últimos, por motivos óbvios: muito estresse, dor de cabeça e desanimo. Tudo isso causa um desconforto muito grande em mim, o que não me deixa relaxar nem um pouco. Porem, por conta disso, tenho uma longa lista de desejados de livros para 2017, incluindo Clarice Lispector.

Curtindo:

Por incrivel que pareça, estou curtindo minha nova mania de arrumar as coisas. Quero arrumar tudo, minha estante, meus livros, minha cozinha, e muitas outras coisas. Isso me deixa contente, porque percebo que estou mudando, e para melhor.

Expectativa:

O parto da Guaíra em julho, com certeza é a minha maior expectativa de 2017! Além disso, tem o vestibular em julho novamente, o que me deixa muito ansiosa e nervosa também, porque eu sei que é uma responsabilidade e tanto. Também tem o meu livro, que quero começar em breve, um novo, porque perdi o que eu estava escrevendo, uma grande decepção e tristeza.

Feliz por:

Novas metas, novo ano, novas coisas. Começar a escrever um livro novo, fazer exercícios, dar um “epa” no blog, e principalmente, passar no vestibular. Tudo isso parece só metas, mas não é só, eu fico feliz quando coloco coisas no papel para que um dia vire realidade. Nem sempre foi assim.

 

Resumo mensal de setembro/2016

Olá!

Com certeza, este mês será um daqueles que no fim do ano, especificamente na virada de 2016/2017, vou refletir sobre grandes mudanças na minha vida, e como eu fui, suficientemente corajosa para encara-los de frente. Primeiro, vamos fechar nossa horta na cidade. Bem, os motivos são vários, no entanto, esta ideia surgiu este mês e já foi concretizada nesta semana. As preocupações vieram a tona: dinheiro, pagar as contas, pagar o carro, pessoas perguntando o que vamos fazer, e o pior, o desemprego. A procura desesperada por um trabalho significa um trabalho diário para procura-lo. Pesquisas na internet, SINE, ligações e entrevista. O Brasil em crise, emprego tá difícil, mas eu ainda estou aqui, acreditando que tudo vai dar certo.

14528359_958279537614591_1774912359_n

Além disso, os meus estudos para o vestibular de dezembro neste mês, caíram bastante. Não sei dizer o motivo. Talvez porque eu ainda esteja desapontada com minha reprovação do vestibular anterior, ou talvez porque eu realmente esteja muito preocupada com o trabalho. Só sei que quero voltar com tudo. Principalmente agora, neste mês de outubro, que com ele e  mais o de novembro, restam apenas dois meses para eu me adiantar, e garantir minha vaga para 2017.

Porém, eu fiquei muito feliz em saber que mudanças acontecem. Sabe, pode ser para pior, coisas difíceis acontecerão. Talvez o cartão de credito possa ficar um tempo atrasado, meus pais e outras pessoas podem ficar um pouco preocupados. Mas não importa. Porque eu não estou parada. Estou correndo atrás, á procura de emprego. Sei que quem procura, acha. Eu vou achar o que é meu, por isso, tenho a total certeza que no fim, dará tudo certo.

14341799_958279577614587_1353245723_n

Um das coisas que ando me preocupando nesta semana, é o meu peso. Eu adoro andar a cavalo, ainda mais agora que encontrei companhia para isso, porém, o meu peso não está ajudando. Eu nunca me incomodei com ele, eu gosto do meu corpo assim, meio “cheinho” e com curvas salientes {risos}, porém, o meu amor pelos cavalos necessita de um corpo ágil, leve para montar, correr e dentre outras coisas. E infelizmente, o meu não está ajudando. Por isso, algo está me incomodando. Agora me olho no espelho, e vejo que isso não me faz bem. Por isso, preocupações como esta, também, me atormentaram neste mês.

Em contra partida, coisas boas aconteceram também, muitas? Talvez não. Mas o suficiente. Como por exemplo, que minhas éguas estão prenhas. Todas. E isto me deixou muito feliz, e ansiosa pelo nascimento. Também minha avó e meus tios virão para o fim de ano aqui em casa. O que me deixa mais ansiosa ainda, porque eu quero muito que eles vêem, estou com muitas saudades.

Li: Eu li neste mês o livro Muito mais que 5inco minutos da Kéfera Buchmann(Des)encontros de Isabela Massadar, Contos Novos do Mario de Andrade {para o vestibular, para variar, mas que eu gostei muito} e por último, terminado recentemente Eu e outras poesias do Augusto dos Anjos. Eu não fiz resenhas para vocês destes dois últimos aqui no blog ainda, mas pretendo fazer em breve. Sendo livros para vestibular, eu tenho um pouco de dificuldade para resenha-los, porque são livros difíceis de compreensão, e por trás remete estudo. Mas faço o meu possível.

Curtindo: A minha companhia para cavalgadas. Eu encontrei uma vizinha, aqui perto de onde eu moro, que também tem um cavalo, e que agora, todos os sábados á tarde, fazemos nossa cavalgada, ou um simples passeio a cavalo, como preferir. È muito legal, porque conhecemos lugares novos, conversamos bastantes, e fazemos grandes trapalhadas também. Como tentar atravessar o rio, na qual nem sempre os cavalos querem ir. Foi engraçado.

14542913_958279607614584_678587591_n

Assistindo: Ainda terminando de assistir a série Heartland, que por incrível que pareça {mesmo que não muito fã de assistir filmes} estou incrivelmente apaixonada pela está serie. Tem os personagens, Amy, Ty Calleb, que agora todas as noites após o jantar, não consigo ficar sem assistir um capitulo, ao menos. Mas ao mesmo tempo ansiosa para que acabe logo {falta duas temporadas, eu acho} porque isto rouba grande parte do meu tempo para estudar. Trarei resenha para vocês depois de tudo assistido.

Feliz por: Estar criando expectativas reais na minha vida. Nunca eu estive tão convicta e certa do que eu realmente quero. Já faz um tempo que venho trabalhando isso em mim, e estou indo muito bem. A faculdade de Psicologia {porque mesmo sendo difícil de entrar, quero continuar tentando, estudando e me esforçando para isso}, os cavalos {mesmo que um pouco sofrido, como tentar montar em cavalos agitados, cuidar deles, treinar alguns, eu sinto incrivelmente apaixonada por isso} trabalho de meio período {agora sem trabalho, estou em procura de um emprego de meio período, para que eu continue estudando}. Nunca estive tão certa das minhas decisões. Percebi que estou me tornando uma pessoas mais decisiva, diferente do que eu era antes, confusa e inquieta, na qual eu não conseguia levar as coisas adiantes e queria deixar sempre as coisas para trás. Agora não, agora eu quero continuar.

linha

Leia também:
Resumo mensal: agosto/2016
Lançamentos mês de setembro/2016
Ser feliz, é amar?

 

 

 

 

 

Resumo do livro NEGRINHA de Monteiro Lobato, para vestibular de forma simples e clara {parte 2}

monteiro

Conto: Uma história de mil anos

 Vidinha, é uma garota que vive presa em um lugar que Monteiro demonstra perfeitamente. Totalmente natural, encantando com a natureza e os animais que ali existe. Porem, Vidinha nunca saiu dali. E nunca sairá. Até o momento que te entristecesse com isso.

Seus pais percebem que a filha está entristecida e não sabem o motivo. Pensam em arrumar um marido para ela, mas não sabem onde, abandonados em um lugar em plena solidão, sem vizinhos, muito longe da cidade…

Até que um dia surge um homem, que precisava de comida e um lugar para passar um tempo. Eles aceitam.

Por incrível que pareça, a paixão floresceu ali. O rapaz disse a menina o que ela estava perdendo lá fora. A cidade, as luzes, a vida urbana, tudo.. disse que ela tinha muita chance, por ser muito bonita…

A garota apaixonada, tinha encontrado vida novamente em seus olhos.

Até que um dia o rapaz foi embora. Sem avisar. Fugira.

Fica subentendido que Vidinha morre. Era “nossa luz de alegria” palavras dos pais dela.

Conto: Os pequeninos

Histórias contadas na espera de navios por um homem, contando para seus amigos. O rapaz escutava a conversa:

O homem sempre quis ter um ema. Ao ir busca-la, no caminho encontrou uma, na qual um gaviãozinho lacrava os dentes em baixo da sua asa. A ema não conseguia se defender, pois era o único lugar que ela não alcançava com o bico. O homem salvou a bichana, tirando o gavião dali e a levou para casa

O outro ocorrido contado, foi da historia de um pobre homem que trabalhava em um mercado a muitos anos, e era de muita confiança. Até que um dia, um saco de arroz sumiu, e ele foi despedido, acusado de roubo. No entanto, após alguns anos, descobriram que quem roubava aquele saco de arroz, foram as formigas. Pedido para voltar a trabalhar, o homem recusou.

Moral da historia: os pequeninos a derrotar o grande.

Conto: A facada imortal

Um golpe, que Indalício deu em seu amigo Raul. Na época, chama-se FACADA, o golpe na qual alguém fazia um empréstimo, e não pagava. Os golpistas desta laia se chamavam de faquistas.

Isto é o que ele fez com o amigo. Este muito vaidoso, caiu no papo de Indalicio, se sentindo derrotado. E Indalicio, satisfeito.

Conto: A policitemia de Dona Lindoca

Dona Lindoca era uma mulher casada, infeliz. Seu marido a traía, e seus filhos tomando o rumo da vida, começaram a se casar. Até que um dia, se sentiu um pouco mal e foi a um medico. Este disse que a ela estava com policitemia, e que deveria repousar.

O marido com remorso, deu a mulher muito carinho. Os filhos vieram visitar a mãe e muitos parentes vieram também. Após seis meses, Dona Lindoca nunca se sentiu tão bem, tanto fisicamente, como emocionalmente.

Até que o medico fugiu para Buenos Aires. Ao se consultar com outro medico, este disto que ela estava muito bem, e que talvez nunca esteve doente. Disse ainda, que o medico que fugistes, mentia para as pacientes, nas quais nunca esteve doentes.

A vida da Lindoca voltou como era antes, infeliz. Os filhos voltaram com as visitas raras, e o marido ligado no trabalho e as traições.

Dona Lindoca sentiu falta da policitemia.

linha

 

 

 

Resumo do livro NEGRINHA de Monteiro Lobato {parte 1}

monteiro

Conto: Negrinha

Negrinha, a garotinha órfã que vivia na casa da Dona Inácia. A senhora odiava crianças e ainda mais ouvir o choro delas. Negrinha sofria nas mãos da Dona Inácia, sofria torturações constantemente, o maior divertimento da velha era dar uns “crocre” na menina.

No entanto, o maior divertimento da Negrinha, era ouvir o “cuco” do relógio. Certo dia, as sobrinhas da Dona Inácia vieram passar uns dias na casa dela. Trouxeram bonecas, e Negrinha nunca havia visto uma, nem uma ao menos brincado na vida.

Pela primeira vez, Negrinha brincou com uma boneca. Porém, as sobrinhas ricas e brancas foram embora. Negrinha ficou triste, arrasada e indiferente. Morreu assim, mergulhado na tristeza.

Dona Inácia sentiu falta de alguém para dar uns “crocre”.

{Leia o conto aqui}

Conto: O drama da geada

Um velho fazendeiro, sofrido e corajoso, responsável pelo desbravamento de muitas terras, teme por uma geada que aniquilar toda sua plantação de café. Consequentemente, o prejuízo será a perda de tuas terras para o banco.

Como se o destino o observasse, a geada veio. Naquela noite, o fazendeiro não havia dormido preocupado com a vinda da desgraça. Com isso, em meio a geada, ele saiu no meio da noite, e de manhã, ninguém o encontrava. Onde estaria o fazendeiro?

Após um dia desaparecido, foi encontrado no cafezal, fora de seu juízo, completamente louco, pintando os cafezais com tinta verde.

Conto: Bugio Moqueado

Um homem está jogando com seus amigos em uma cancha (jogo de cavalos). Ao ver que sua aposta esta perdendo, começa a ouvir uma conversa entre dois velhos próximo a ele, na qual um deles esta contando uma historia.

A historia dizia que, em uma viagem para o Mato Grosso para comprar gado, conheceu um fazendeiro com cara de bravo. Este convidou o velho para jantar em sua casa. Coisas estranhas aconteceram lá. Em meio ao jantar, o fazendeiro obriga sua mulher a comer uma carne estranho, de maneira desajeitada e obrigatória.

O homem assustado foi embora, e nunca mais quis voltar lá.

Tempos depois, ele estava trabalhando com um negro, quando pergunta para este ele se ele conhecesse alguém para ele contratar… O negro respondeu que tinha, mas que morreu, seu irmão, que foi morto em uma fazenda em Mato Grosso por um fazendeiro. Este desconfiava que ele tinha um caso com sua mulher. Então, o fazendeiro o matou e pendurou sua carne na dispensa.

Sua mulher, era obrigada a comer todas as noites um pedaço daquela carne.

Sim. Aquela mesma que tinha ido comprar gado.

Conto: O Jardineiro Timoteo

Em uma fazenda, havia o jardineiro Timoteo, negro, que cuidava do jardim. O jardim para ele era tudo. Conversava com ela, suas amigas, muitos achavam que ele era louco.

Mas um dia a fazenda foi vendida, e Timoteo com medo do que pudesse acontecer, pediu para seu patrão para que não fizesse isso. Mas foi em vão.

Então, os novos moradores da casa chegarão. O novo proprietário, como Timoteo já temia, pediu que retirasse todo o jardim clássico do negro, e plantasse um mais moderno, de acordo com o que convinha a cidade.

O pobre jardineiro não forte o suficiente para tal crueldade, se recusou a fazer isto, e morreu. Morreu de tristeza, indignado com o que pediram que fizesse.

Conto: O fisco

Uma família, pobre, que passavam por dificuldades.

O menino, filho do casal, ouvirá uma conversa dos pais, que quando o menino crescesse estaria na hora dele ajudar com as despesas da família, trabalhando. No entanto, o garoto quis ajudar antes, e surpreendesse os pais.

Então, ao amanhecer, pediu ajuda a um tio para trabalhar de engraxar sapatos na cidade e que lhe ajudasse. Ele foi, sonhava alegremente em voltar com muito dinheiro, e dar alegria á família..

Porem…

Ao chegar lá, foi surpreendido por alguém, que o denunciou na policia por estar exercendo um trabalho ilegal. Foi levado para casa por ele. Chegando lá, o policial cobrou aos pais do menino a multa pela infração. A família pagou, dando todas suas economias para o guarda que gastou no bar em bebidas.

O menino apanhou bravamente do pai.

Conto: Os negros

Dois negros estavam em uma viagem de cavalos para algum destino. Porem. diante do caminho começou a chover, sendo obrigados a parar e uma casa abandonada que encontraram.

Um velho negro morava por ali perto, ajudando-lhes com comida. Diante da pequena casa do homem, os dois ofereceram que dormissem na casa abandonada. Mas, o velho disse que a casa era realmente abandonada, que ali viva o espírito do coronel Aleixo..

Foram mesmo assim. Um dos negos foi possuído pela alma de Aleixo.

Durante a noite, o velho que ali vivia começou a contar uma historia de Aleixo, do quanto ele era mal. Contou que o coronel tinha um criado que havia se apaixonado pela sua filha. Os dois, já se encontrando as escondidas foram descobertos e mortos. O homem emparedado na parede, e a moça chicoteada como um negro.

No dia seguinte, continuaram a viagem. O negro assustado com a historia, e o outro sem saber o que aconteceu com seu corpo durante a noite.

Conto: Barba Azul

Dois rapazes estavam comendo em um restaurante.

Um deles reconheceu um velho conhecido que estava ali  comendo também. Quando saíram do restaurante, um dos homens prometeu contar a historia daquele outro. Pararam em um café e começou a contar:

Ele, um homem que hazia se casado varias vezes. A primeira a mulher morreu no parto, e recebeu um seguro por aquilo. Se casou novamente, quando era dono de uma farmácia, mas, esta também morreu, e também no parto. Muito estranho. Então ele decidiu investigar. Descobriu que ele estava muito rico, e que matava as mulheres para pegar o dinheiro do seguro.

Já estava até o quarto casamento. Todas as mulheres tinham algum problema físico ou mental. E todas morriam, da mesma maneira, e pelo mesmo motivo.

Conto: O Colocador de pronomes

“Aldrovando Cantagalo veio ao mundo em virtude dum erro de gramática”

Erro este foi o que teu pai, um pobre moço que trabalhava em um cartorio cometeu.

Assim: ele estava encantando por uma moça, filha de um coronel, na qual também tinha outra moça, irmã dá que se encantara, um pouco mais “desajeitada” e menos bela do que a outra. Escreveu um bilhete para a menina declarando seu amor. Porem, o bilhete caiu nas mãos do pai da menina, o coronel.

Infelizmente, e azar do pobre rapaz, um erro na gramática no bilhete deu a se entender que com quem o rapaz se encantava era pela outra moça, a mais desajeitada e menos bela.

Terrível destino! O rapaz foi obrigado a se casar com ela, e teve um filho. O querido Aldrovando Cantagalo. Este, não fez outra coisa a não ser honrar toda sua vida pela gramática. Seu maior ídolo era Frei Luís do Souza. Porém, mesmo que muito sábio, Aldrovando não era tão sábio assim…

Ele tenta ao máximo impor a gramática culta na vida da sociedade. Se esperneia, cria confusões e totalmente “zuado” na cidade pela sua imposição. Até que decidi criar sua própria gramática escrevendo um livro. Satisfeito, recebe em suas mãos impresso a grande obra prima da sua vida de mais de 500 paginas..

Eis a tragédia que vem a tona… um erro na copia do seu livro o faz ficar tristemente envergonhado. Um erro em que a impressão saiu errada e enganada. Autor de uma única obra, Aldrovando morre pelo efeito do próprio veneno da sua ambição gramatical…

linha

Leia também: 5 pontos positivos dos cursinhos online
O segredo do vestibular: esforço, sorte e disciplina.
Desafio literatura brasileira [3/100]: Dois irmãos de Milton Hatum