“O Natal parece que foi ontem!”

ef1bc0eae64d8de4e340cdd86ccd2c0c

Olá.

“Já se passou fevereiro!”, “O Natal parece que foi ontem.” Escutei estas expressões e outras neste mês de fevereiro. Agora a frase é: “O mês de Março ja começou, logo, já é Dezembro.” Por diversas maneiras eu tentei entender tais expressões. Será que as pessoas andam tão corridas, que não percebem ou não fazem as contagem dos dias? Será que as pessoas estão tão distraídas com crianças, festas, trabalho, estudos, que nem sentem de fato, o tempo passando? Na real, passa rápido mesmo. E esta sensação de rapidez é porque passado, é passado, e quando ele passa, parece que não existiu. E isto me intriga: porque desvalorizar tanto o passado? O passado é parte de uma construção do que somos hoje.

Esta foi uma das confusões dos meus pensamentos deste mês. Por isso criei uma pequena meta para este ano, mas que, muito grandiosa. Valorizar cada minuto dos meus dias, observar mais as horas, o que eu fiz nelas, aproveitei o quanto eu precisava? O que eu poderia ter feito nestas horas, o que eu não fiz? O que eu perdi de grande na minha vida, que eu poderia ter feito naquela hora, literalmente? Para tornar isso real, decidi escrever todos os dias, sobre ele mesmo. Talvez aqui no blog, talvez em um pedaço de papel. Quero relatar todas as horas, para que eu possa ter a noção dos meus dias passando, sem desvalorizar o que eu aprendi, fiz de bom, e qual a produtividade daquele dia.

Eu sempre me questionei que a vida, pela menos esta que me encontro agora, é única. Nunca serei outra “Franciele” de  fato, eu mesma, com estes mesmos cabelos e olhos. Posso ser outra pessoa um dia, depois da morte, quem sabe. Mas esta, jamais. Pensei em diversas maneiras de aproveitar o máximo dos meus dias, e adquirir o máximo de desejos e realizações que eu poder, enquanto eu posso. Para que um dia eu adormeça, e as únicas palavras que estarão na minha cabeça será: “Estou realizada”. 

Obrigada por ler.

Até mais.