Diário Fitnes#1 Porque decidi eliminar peso

loja-virtual-fitness

Como dizia um amigo, peso não se perde, se elimina, porque tudo o que se perde, acha. Pois é. Pode até fazer sentido. Durante toda minha vida, eu já perdi e ganhei peso.  E também, já fui magra e gorda, nunca deu pra entender direito. Porém, ultimamente ando lendo muitas discussões sobre amar a si mesma, autoconfiança, baixa/alta estima, saúde, perca de peso, vida ftines e etc. As pessoas estão falando tanto sobre disso, que até eu parei pra pensar.

Eu espero que toda esta onda Fitnes não ultrapasse os limites. Não que isso seja de fato algo ruim, é uma coisa muito boa falar sobre isso, sobre saúde, ser bonita e se sentir amada e se amar. Porém, isso mexe com a cabeça das pessoas, que de certa forma, a teoria é só uma, mas a psicologia das pessoas são totalmente diferentes.

Eu até havia aceitado meu corpo. Eu aceito meu corpo, para falar a verdade. No entanto, me incomoda. Não dá pra dizer: EU AMO MEU CORPO, NÃO LIGO PARA O QUE PENSAM, EU SOU MUITO CONFIANTE. Esta é a mensagem que escuto pelas redes sociais. Não acho que é verdade. Eu posso me amar, ser auto confiante, ser feliz com meu corpo, porém não fechar os olhos pro espelho e pensar: SIM, SOU PERFEITA.

Meus braços me incomodam, e não encontro roupas. Acho feio? Não. Mas me incomoda. Preciso correr para pegar um ônibus, preciso treinar meus cavalos, preciso me vestir melhor, quero fazer boa pose em uma foto.. não é sempre que dá. Para falar a verdade, quase nunca dá. Era bom. Eu me sentia satisfeita e feliz. No entanto, eu estava omitindo umas coisas. Eu omitia a realidade, e é sobre isso que vou falar agora.

A realidade, é que nunca irei poder vestir as roupas que eu quero. Adoro vestidos, mas não gosto de mostrar minhas pernas grossas. Adoro meu rosto, mas a papinha do pescoço deixa as fotos estranhas, gosto de uma roupa na loja, e não tem meu numero. Sei que um dia poderei ficar doente, sinto que ao correr, meu corpo é fraco e menos propicio a vencer em uma guerra. Estas são realidades, e mesmo que você não se importe com elas, elas existem. È como ignorar a chuva, mas de qualquer forma ela vai te molhar.

Foi por isso que eu comecei meu diário Fitnes. Eu odeio esse titulo, mas ele faz eu me sentir bem. Mesmo que eu tenha escrito um monte de asneira aí em cima, acho que agora posso dizer sobre minha trajetória. Já faz uma semana que estou nesta “vibe”. Para começar, estou fazendo Jump, em casa, e isto está me fazendo muito bem. Eu escolhi o jump porque não é chato. E as horas passam rápido. Toca musicas que eu gosto e que me dão adrenalina. Isso me fortalece e não me deixa desistir.

Esperem pelos próximos capítulos.

Tchau!

Resumo mensal de setembro/2016

Olá!

Com certeza, este mês será um daqueles que no fim do ano, especificamente na virada de 2016/2017, vou refletir sobre grandes mudanças na minha vida, e como eu fui, suficientemente corajosa para encara-los de frente. Primeiro, vamos fechar nossa horta na cidade. Bem, os motivos são vários, no entanto, esta ideia surgiu este mês e já foi concretizada nesta semana. As preocupações vieram a tona: dinheiro, pagar as contas, pagar o carro, pessoas perguntando o que vamos fazer, e o pior, o desemprego. A procura desesperada por um trabalho significa um trabalho diário para procura-lo. Pesquisas na internet, SINE, ligações e entrevista. O Brasil em crise, emprego tá difícil, mas eu ainda estou aqui, acreditando que tudo vai dar certo.

14528359_958279537614591_1774912359_n

Além disso, os meus estudos para o vestibular de dezembro neste mês, caíram bastante. Não sei dizer o motivo. Talvez porque eu ainda esteja desapontada com minha reprovação do vestibular anterior, ou talvez porque eu realmente esteja muito preocupada com o trabalho. Só sei que quero voltar com tudo. Principalmente agora, neste mês de outubro, que com ele e  mais o de novembro, restam apenas dois meses para eu me adiantar, e garantir minha vaga para 2017.

Porém, eu fiquei muito feliz em saber que mudanças acontecem. Sabe, pode ser para pior, coisas difíceis acontecerão. Talvez o cartão de credito possa ficar um tempo atrasado, meus pais e outras pessoas podem ficar um pouco preocupados. Mas não importa. Porque eu não estou parada. Estou correndo atrás, á procura de emprego. Sei que quem procura, acha. Eu vou achar o que é meu, por isso, tenho a total certeza que no fim, dará tudo certo.

14341799_958279577614587_1353245723_n

Um das coisas que ando me preocupando nesta semana, é o meu peso. Eu adoro andar a cavalo, ainda mais agora que encontrei companhia para isso, porém, o meu peso não está ajudando. Eu nunca me incomodei com ele, eu gosto do meu corpo assim, meio “cheinho” e com curvas salientes {risos}, porém, o meu amor pelos cavalos necessita de um corpo ágil, leve para montar, correr e dentre outras coisas. E infelizmente, o meu não está ajudando. Por isso, algo está me incomodando. Agora me olho no espelho, e vejo que isso não me faz bem. Por isso, preocupações como esta, também, me atormentaram neste mês.

Em contra partida, coisas boas aconteceram também, muitas? Talvez não. Mas o suficiente. Como por exemplo, que minhas éguas estão prenhas. Todas. E isto me deixou muito feliz, e ansiosa pelo nascimento. Também minha avó e meus tios virão para o fim de ano aqui em casa. O que me deixa mais ansiosa ainda, porque eu quero muito que eles vêem, estou com muitas saudades.

Li: Eu li neste mês o livro Muito mais que 5inco minutos da Kéfera Buchmann(Des)encontros de Isabela Massadar, Contos Novos do Mario de Andrade {para o vestibular, para variar, mas que eu gostei muito} e por último, terminado recentemente Eu e outras poesias do Augusto dos Anjos. Eu não fiz resenhas para vocês destes dois últimos aqui no blog ainda, mas pretendo fazer em breve. Sendo livros para vestibular, eu tenho um pouco de dificuldade para resenha-los, porque são livros difíceis de compreensão, e por trás remete estudo. Mas faço o meu possível.

Curtindo: A minha companhia para cavalgadas. Eu encontrei uma vizinha, aqui perto de onde eu moro, que também tem um cavalo, e que agora, todos os sábados á tarde, fazemos nossa cavalgada, ou um simples passeio a cavalo, como preferir. È muito legal, porque conhecemos lugares novos, conversamos bastantes, e fazemos grandes trapalhadas também. Como tentar atravessar o rio, na qual nem sempre os cavalos querem ir. Foi engraçado.

14542913_958279607614584_678587591_n

Assistindo: Ainda terminando de assistir a série Heartland, que por incrível que pareça {mesmo que não muito fã de assistir filmes} estou incrivelmente apaixonada pela está serie. Tem os personagens, Amy, Ty Calleb, que agora todas as noites após o jantar, não consigo ficar sem assistir um capitulo, ao menos. Mas ao mesmo tempo ansiosa para que acabe logo {falta duas temporadas, eu acho} porque isto rouba grande parte do meu tempo para estudar. Trarei resenha para vocês depois de tudo assistido.

Feliz por: Estar criando expectativas reais na minha vida. Nunca eu estive tão convicta e certa do que eu realmente quero. Já faz um tempo que venho trabalhando isso em mim, e estou indo muito bem. A faculdade de Psicologia {porque mesmo sendo difícil de entrar, quero continuar tentando, estudando e me esforçando para isso}, os cavalos {mesmo que um pouco sofrido, como tentar montar em cavalos agitados, cuidar deles, treinar alguns, eu sinto incrivelmente apaixonada por isso} trabalho de meio período {agora sem trabalho, estou em procura de um emprego de meio período, para que eu continue estudando}. Nunca estive tão certa das minhas decisões. Percebi que estou me tornando uma pessoas mais decisiva, diferente do que eu era antes, confusa e inquieta, na qual eu não conseguia levar as coisas adiantes e queria deixar sempre as coisas para trás. Agora não, agora eu quero continuar.

linha

Leia também:
Resumo mensal: agosto/2016
Lançamentos mês de setembro/2016
Ser feliz, é amar?