Diário Fitnes#1 Porque decidi eliminar peso

loja-virtual-fitness

Como dizia um amigo, peso não se perde, se elimina, porque tudo o que se perde, acha. Pois é. Pode até fazer sentido. Durante toda minha vida, eu já perdi e ganhei peso.  E também, já fui magra e gorda, nunca deu pra entender direito. Porém, ultimamente ando lendo muitas discussões sobre amar a si mesma, autoconfiança, baixa/alta estima, saúde, perca de peso, vida ftines e etc. As pessoas estão falando tanto sobre disso, que até eu parei pra pensar.

Eu espero que toda esta onda Fitnes não ultrapasse os limites. Não que isso seja de fato algo ruim, é uma coisa muito boa falar sobre isso, sobre saúde, ser bonita e se sentir amada e se amar. Porém, isso mexe com a cabeça das pessoas, que de certa forma, a teoria é só uma, mas a psicologia das pessoas são totalmente diferentes.

Eu até havia aceitado meu corpo. Eu aceito meu corpo, para falar a verdade. No entanto, me incomoda. Não dá pra dizer: EU AMO MEU CORPO, NÃO LIGO PARA O QUE PENSAM, EU SOU MUITO CONFIANTE. Esta é a mensagem que escuto pelas redes sociais. Não acho que é verdade. Eu posso me amar, ser auto confiante, ser feliz com meu corpo, porém não fechar os olhos pro espelho e pensar: SIM, SOU PERFEITA.

Meus braços me incomodam, e não encontro roupas. Acho feio? Não. Mas me incomoda. Preciso correr para pegar um ônibus, preciso treinar meus cavalos, preciso me vestir melhor, quero fazer boa pose em uma foto.. não é sempre que dá. Para falar a verdade, quase nunca dá. Era bom. Eu me sentia satisfeita e feliz. No entanto, eu estava omitindo umas coisas. Eu omitia a realidade, e é sobre isso que vou falar agora.

A realidade, é que nunca irei poder vestir as roupas que eu quero. Adoro vestidos, mas não gosto de mostrar minhas pernas grossas. Adoro meu rosto, mas a papinha do pescoço deixa as fotos estranhas, gosto de uma roupa na loja, e não tem meu numero. Sei que um dia poderei ficar doente, sinto que ao correr, meu corpo é fraco e menos propicio a vencer em uma guerra. Estas são realidades, e mesmo que você não se importe com elas, elas existem. È como ignorar a chuva, mas de qualquer forma ela vai te molhar.

Foi por isso que eu comecei meu diário Fitnes. Eu odeio esse titulo, mas ele faz eu me sentir bem. Mesmo que eu tenha escrito um monte de asneira aí em cima, acho que agora posso dizer sobre minha trajetória. Já faz uma semana que estou nesta “vibe”. Para começar, estou fazendo Jump, em casa, e isto está me fazendo muito bem. Eu escolhi o jump porque não é chato. E as horas passam rápido. Toca musicas que eu gosto e que me dão adrenalina. Isso me fortalece e não me deixa desistir.

Esperem pelos próximos capítulos.

Tchau!

Ela sabe sivirar, está aprendendo com isso

e41b9aa66870522eaacdb718867972cf

Não é preciso ter medo, quando o que menos se tem é coragem. Destruir expectativas que talvez não torne realidades futuras não é o caminho certo para se tornar equivalente a alguém de sucesso. Eu posso! Repete ela, todas as vezes que esta diante de algo que a amedronta. As vezes a situação é contornável, quando é, e quando é, não adianta comemorar, haverá sempre uma sempre oportunidade.

È interessante perceber que a evolução dela como ser humano emocionada. Pode ser que ela se emocione todos os dias e que nunca se esqueça que está dando certo. È maravilhoso, é  indestrutível é rejuvenescente. Quando parecia tudo velho, lá vem uma atitude aplausível, uma fala reconfortante, uma ação audaciosa, que faz o sol ficar mais bonito ou  as folhas das arvores mais verdes. A vista, não é mais uma imagem que meus olhos transmitem para o meu cérebro, é mais a rara perfeita vida, que ela tem.

Não basta ter um coração batendo, se nem ao menos uma vez no dia você para, para escutar-lhe. Os batimentos são como ecos de som de altíssimo volume em uma festa, diferente, da sua audácia de aparecer. O coração precisa de atenção para se tornar presente, e para isso só basta silêncio, paz e concentração. Ainda assim, ele tenta não tornar-se presente, porque a vontade de si mesma, é se tornar ausente.

 

 

Como está sendo o meu cursinho para o vestibular

Por incrível que pareça eu ainda não desisti! EEEEEEEEEEEEH! E agora eu posso dizer com a convicta certeza, que eu vou terminar! Isso para quem me conhece é uma tremenda tarefa, mas nos últimos tempos eu já posso dizer que agora isso já acontece no automático. Antes mesmo de eu pensar em fazer alguma coisa, eu estudo perfeitamente se é aquilo mesmo que eu quero, porque depois de começado eu não posso largar mais.

Mas no cursinho a situação é dferente. Eu estou amando. Amigos, professores, estudos, alguma coisa para me ocupar e me tirar daquela vida de trabalho, trabalho, trabalho…. Mesmo que as coisas estão mais puxadas agora, mais coisas para fazer, mais correria, mas está sendo muito importante para mim está experiencia. E como diz a minha nova amiga do cursinho “vamos ter fé que a gente vai passar no vestibular, vamos ter fé…”

Há muitas pessoas que tem receio antes de iniciarem um cursinho para passar no vestibular. Eu comecei a estudar em casa sozinha meses atrás e serio, é muito difícil. Muito difícil! Você não tem coordenação, ritmo, alguém para tirar duvidas, alguém para dizer para você não desistir. È tão complicado, porque você tem medo de começar e não conseguir terminar. Com isso eu tento não ficar pensando muito no que pode acontecer, ou seja no futuro, deixo as coisas fluírem.

Não ficar pensando “será que vou conseguir? será que vou conseguir?” Diversas vezes durante o dia e quando você já faz essa pergunta, você já está duvidando de você mesma. Você simplismente deixe os dias fluirem, devagar dia após dia, como se não houvesse um ultima dia para acabar, como se fosse um nova desafio, empolgante, um teste para você mesma. E que você sabe que vai passar.

Ter esta sensação de “eu voltei a estudar!” è tão bom, saber que eu vou poder ser dita que sou alguma coisa “ela é professora, ela é psicologa, ela é escritora…” algum dia haha. Como todos sabem se dependesse de mim, eu seria escritora. Mas não dá pra ficar esperando isso acontecer, por isso eu voltei á estudar.

Mas eu acredito muito que no curso que eu escolhi, de psicologia, pode me ajudar muito a desenvolver personagens e escrever mais. Eu sinto que cada vez mais eu estou chegando perto do meu grande sonho. De ser alguém bem, feliz com alguma coisa que eu realmente goste de fazer. O que na verdade todo mundo deveria fazer, correr atrás do sucesso.

Um grande beijo!

O que passo, passou

image

Atualmete ando tentanso lembrar, aonde é que foi que eu perdi a mania de contar os dias que se passam. Já é dezembro, e o mais incrivel que possa parecer, logo já é natal e ano novo.

O que acredito muito é infelizmente, o que ja é bem tarde se dizer isso, não aproveitei o suficiente do meu ano. O que pelo menos queria ter aproveitado.  Ter conhecido novos amigos, fazer novos cursos e pensar mais em futuro, estudo, familia, trabalho qualquer que coisa que fosse me preocupar comigo mesma.

Deveria ter me olhado mais no espelho. Ter me achado bonita. I interessante. Ter olhado mais para os meus interesses.  Me preocupar muito com os outros, as vezes ter esquecido de mim para satisfazer o outro, foi meu grande erro talvez de 2014.

Confesso que em 2015 quero ser uma pessoa melhor, mais confiante e segura.  Quero ter mais planos, fazer projetos. Não apenas sonhar. Porque isso eu já faço muito. Quero realizar
Tudo o que na verdade com esforço, eu consigo!

Espero que você também acredite nisso…

Um abraço.