Cartas de amor #5

wpid-faa402d351412a747d7c44222b7ba29c.jpg

Meu anjo,

Como você está? Fiquei tão feliz e triste ao mesmo tempo com a sua carta! Você me fez pensar muitas coisas, e realmente, você tem razão. Estou sendo estúpido absorvendo toda esta culpa á mim, tudo o que minha mãe anda me dizendo. Você, estou preocupado. Achei que problemas de mentira é uma vergonha para mim de ser assumidas, mas você não teve medo, você diz, eu me sinto envergonhando, me desculpe.

Não quero que você se sinta assim. Tem alguma coisa pelo o que eu posso fazer? Queria estar ai para te levar para algum lugar, bem longe, aonde a gente não pudesse “ouvir” coisas pelos quais as pessoas que mais amamos nos diz. Parece errado, mas não é. Se eu absorvesse tudo o que minha mãe diz, basicamente eu estaria louco.

Amor, vamos fugir? Eu juro. Estou doente, gastrite, e como você sabe o meu salário aqui como jardineiro não é grandes coisas. Eu iria busca-la, para onde você iria comigo? Eu gostaria de ir para Holanda, um dia destes eu estava assistindo a televisão e vi uma reportagem a respeito. Eu poderia leva-la para lá se quisesse….

Lá tem tulipas vermelhas, podemos morar em um condomínio simples, e longe dos problemas, poderíamos construir uma vida juntos. Sem devaneios, apenas pedras no caminho, aquelas que a gente tira do trajeto juntos.

Esta história, dos seus pais, eu lamento. Tenho certeza que sua mãe absorve tudo isso tanto quanto você, ela apenas diminui a intensidade das coisas, e tenta transforma-las em algo bom. Mas sabemos que isso não é possível anjo, não é mesmo? Não sei se eu ficaria confortável aqui sabendo que você irá morar sozinha. Tenho medo, aí em São Paulo acho as coisas muito perigosas. As coisas são diferentes, e pelas coisas que eu vejo na televisão eu fico aterrorizado com esta ideia, onde tudo cresce muito rápido.

Uma das fotos que estou te mandando junto é minha mãe e meu pai juntos quanto eu tinha treze anos. Quem está batendo a foto sou eu, e pelo o que me lembro, este riacho era próximo a minha casa nas proximidades da estrada. Eu encontrei ela no lixo de casa, não sei porque, minha mãe adorava esta foto, também não tie a audácia de perguntar. Então pensei eu mandar para você.

A outra sou eu quando eu tinha oito anos. Era aniversário do meu avó e meu pai me colocou de castigo porque eu estorei uma bombinha perto do meu avo sem querer, por isso está minha cara de emburrado. Fiquei sentado lá até a festa acabar. Nem comi bolo.

Vai ficar tudo bem meu amor. Um dia as coisas vão se ajeitar você vai ver. Eu aguardo ansiosamente a sua carta. Te amo.

Rafael

Anúncios

Cartas de amor #4

wpid-45cd60417b065754241084a0ef16a5e5.jpg

Oh meu Deus, amor! Porque você não me disse antes? Não entendo, qual o problema disso? Escute, eu entendo perfeitamente o que aconteceu, foi errado, foi muito errado. Mas sabe, a vida é isto, é vivendo e aprendendo, e pelo o que você me disse você está arrependido e é assim que se aprende.

Tua mãe também – não sei se posso dizer assim – deveria te dar uma chance, uma chance de você se explicar, ou sei la. Dizer ao menos o que você esta sentindo, eu sei que isso doí querido, e estou lamentando por você aqui agora, eu juro. Sabe o quanto eu queria estar com você aí agora? Vocês faz ideia?

Com certeza se eu estivesse aí, eu iria dizer “querido vá ver seu pai! Talvez o pior pode acontecer…” Mas eu entendi perfeitamente, você achou que seria igual á tantas outras vezes, á tantas idas ao hospital, como se fosse rotina, como se fosse normal. E então todas as vezes ele voltava para a casa, mas nesta não… nesta ele se foi. Ah, amor, eu lamento muito, muito mesmo.

Eu nem sei o que dizer, ok, quer que eu diga? Essa semana foi pessima para mim também. Motivos muito menos piores que os seus mas, o suficientes para me abalar. Descobri que meu pai está traindo minha mãe, na verdade, descobrimos juntas, eu e minha mãe. E advinhe só? Ela o perdoou. Estamos discutindo isso todos os dias, gritamos uma com a outra á noite quando meu pai está em um lugar que ele diz chamar de “encontro da igreja” aonde eu sei muito bem aonde vai.

Minha mãe acreditou quando ele disse “eu prometo nunca mais fazer isso!” agora eles fazem amor todos os dias, e… você sabe, estão no alpice da paixão de novo, minha mãe acredita não merecer coisa melhor. Estou pensando em sair de casa, seriamente. Não queria deixar minha mãe sozinha é claro, mas eu certamente não posso tomar as atitudes por ela. Eu tento dizer, grito, choro para que ela entenda como ela está sendo estupida com a sua decisão. Mas o que mais eu posso fazer? Eu não estou suportando ver meu pai beija-la todas as noites quando chega, como se eu não soubesse á verdade, mesmo que eu o ame, pois eu não posso deletar a ideia dele ser meu pai, acima de tudo.

Sabe amor, você não precisa ficar com medo de me perder. Uma coisa que eu aprendi nessa vida – acho que até a mais importante das lições – é que erramos, temos muitas falhas, e mesmo que a gente tente não errar, não dá, porque esta é a real objetivo da vida, aprender coisas errando, e no ultimo ano da nossa morte, a gente se orgulhar por ter feito o que a vida vale a pena, aprender e amar.

Me dê mais noticias. Aguardo a sua carta.

Te amo, Rafael.

Nosso primeiro encontro

wpid-3cbbe9a42631852ff900f988c62925c6.jpg

… você não precisa desesperadamente ficar louca para me ver, porque isso você ja sabe que estou. As horas e os minutos andam devagar, e o sol quando se põe agora faz cerimonia, só espero que eles reagem assim também quando nos encontrarmos. Agora exatamente são 19:24 e estou arrumando minhas malas. Sei que ainda falta uma semana,, mas não quero esquecer nada. Também não sei se está carta vai chegar a tempo, mas tomara que sim.

Eu choro as vezes pensando com medo de um terremoto cair do alto e destruindo tudo. Não quero que nada saia errado, mesmo que meu medo maior não seja este, e sim que nossas expectativas não sejam correspondidas. Você sabe que te amo, não sabe? E a cada minuto que mais se aproxima eu rezo a Deus para que ele não deixei pedras cair neste caminho, porque eu quero muito que de certo.

Ultimamente eu ando escrevendo muitas coisas, e espero te mostrar um dia. Escrevo em como a minha cama quando durmo parece espaçosa demais pra mim depois que te conheci. Fico pensando que irei comprar mais barrinhas de cereais, panelas e arroz porque eu vou querer que você coma comigo todos os dias. Quero assistir filme com você depois do trabalho, e comer pizza no sabado, e darei carta branca para você escolher a programação, só no sabado! Porque so não basta você estar controlando todos os meus pensamentos nos ultimos tempos.

Não quero pensar que vai dar tudo errado, e que nem que dê cem por cento certo, porque eu tenho medo medo de as coisas serem dificies como foram para mim em outros relacionamentos. Eu so quero que seja especial. Quero que cada minuto com você o tempo não mude, e que eu esqueça por completo os problemas da vida.

Eu te amo, e você sabe disso.                                                                                                                 John

O livro mais inspirador que já li

image

Oh, querido Nicholas Sparks.. porque você consegue fazer eu e mais de milhões de escritores desse mundo querem ser igual a você? Leio esta semana o livro mais querido meu “diário de uma paixão” que desta vez, leio atentamente aos detalhes! Nossa! Quanta coisa bonita, as vezes imagino este livro como um livro de poesia, muitas citações inspiradoras, que me inspiram muito. A história em si é muito linda, mas aparentemente a forma como você escreve me inspira ainda mais.

Sabe que quando as vezes, me sinto perdida, não sei o que escrever, ou até mesmo, quando desisto deste sonho, que as vezes parece ridículo, de escrever um livro um dia, pego os seus livros (que tenho vários) leio alguns trechos e me sinto confiante de novo. De vez em quando eu sento na minha cadeira na varanda da minha casa e fico pensando em uma entrevista que você fez, dizia que escreveu o seu primeiro livro com 19 anos, e que foi um livro muito ruim! Com certeza o meu também vai ser, mas espero terminar como você está hoje.

Querido Nicholas Parks… de uma fã admiradora.